Logo do Site

27 08 Microbiologia Graduacao BiofertilizantePor Stefanie Camargo. Aluna do curso de graduação em Ciências Biológicas Microbiologia e imunologia, 3º período. Matéria escrita na disciplina de extensão de integração acadêmica do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas: Divulgação Científica: para entender melhor o mundo. Creditação da extensão no Instituto de Microbiologia.

Sabe-se que a agricultura ecológica vem tomando espaço no agronegócio. A busca por mecanismos menos agressivos de produção e que favoreçam o cultivo de alimentos estão fortemente ligados a manutenção do bem-estar da natureza. Mas como tornar a produção industrial mais sustentável?

A resposta para o questionamento se encontra nos biofertilizantes, chamados assim devido ao Decreto 4954/2004 do Ministério da Agricultura, que foi alterado pelo Decreto 8384/2014 no qual caracteriza-se por biofertlizante qualquer produto que possua qualquer princípio ativo ou composto orgânico e isento de agrotóxico possuindo capacidade comprovada de atuar de forma significativa no aumento da produtividade do cultivo de plantas. Os biofertilizantes são adubos orgânicos produzidos a partir de resíduos vegetais e/ou animais que passam por um processo de fermentação. A partir disso, um líquido rico em nutrientes é formado composto por microrganismos que vão variar de acordo com a forma de preparo e da matéria-prima utilizada, podem derivar de diversos tipos de matéria orgânica, tornando assim sua produção mais fácil, podendo ser caseira e até industrial. Alguns possíveis meios de cultura de microrganismos são: esterco bovino, cama aviária, solo proveniente de regiões com densa vegetação preservada ou microrganismos eficientes conhecidos e comercializáveis, dentre outros. A adição de microrganismos contribui para a fermentação do biofertilizante e para o aumento da população de microrganismos benéficos no solo. A matéria utilizada não pode provocar nenhum tipo de impacto ambiental e será utilizada em técnicas de adubação ou tratamento nutricional da cultura em questão.

A Embrapa cita algumas funcionalidades dos microrganismos em biofertilizantes, como:

• ciclagem da matéria orgânica, auxiliando na disponibilidade e na reposição de nutrientes para as plantas e aumentando a fertilidade do solo;
• fixação biológica de nitrogênio;
• solubilização de fosfato;
• produção de hormônios vegetais (fitoestimuladores);
• produção de substâncias no solo, que podem atuar na resistência a pragas e doenças e proteção a estresse abiótico.

Os mesmos ainda dizem que: o conhecimento da diversidade microbiana em biofertilizantes é de grande importância para entender quais microrganismos podem estar presentes, como são afetados pela variação do tempo de maturação do produto, quais fatores ambientais os influenciam e como podem atuar na nutrição vegetal.

Portanto, as pesquisas sobre o tema precisam ser amplificadas e especificadas para a produção que deseja adotar o uso dos biofertilizantes, apesar da necessidade de estudo a alternativa soluciona e auxilia várias problemáticas que se referem a produção de alimentos em larga escala, evitando futuros danos causados por alimentos tratados por agrotóxicos e preservando o solo auxiliando no equilíbrio de todo o ecossistema.

Informe da Graduação

  • sbctacnpqfaperjcapespetrobrassbm
  • rede de tecnologiafinep 2agencia de inovacaosebraeembrapanpi
  • projeto coralperiodicosCurta Logo Print 2cienciacommicrobios
Topo