Logo do Site

15 09 micro novidade premiosEntre os dias 06 a 10 de setembro ocorreu o XXVII Congresso Brasileiro de Virologia e o XII Encontro de Virologia do Mercosul, na UFMG, em Belo Horizonte. O IMPG conquistou diversos prêmios através dos trabalhos realizados. Confira os ganhadores:

Prêmio Hélio Gelli Pereira para graduação - Sharton Vinicius Antunes Coelho, orientadora: Luciana Barros de Arruda
Melhor pôster em Virologia Básica - Yasmin Mucunã Mustafa orientadora: Luciana Barros de Arruda
Menção Honrosa no Prêmio Hélio Gelli Pereira para pós-graduação - Rômulo Leão, orientadora: Iranaia Assunção Miranda
Melhor apresentação oral da sessão One Health - Gabriel Henrique Pereira Nunes, orientadora: Juliana Cortines

O Insituto parabeniza todos os participantes pela conquista e os envolvidos nos trabalhos premiados.

Premio SBV fotos

08 09 micro novidade resultadoprofNo período de 28 a 30 de agosto foi realizado o processo seletivo para professor substituto do departamento de Microbiologia Geral, cumprindo o edital No. 490 de 15 de agosto de 2017.

Com quatro inscrições, o processo seletivo contou com a participação efetiva de dois dos candidatos, tendo sido a vaga ocupada pela candidata Juliana Cunha Vidal que alcançou o primeiro lugar no concurso. O segundo colocado foi Gustavo Miranda Rocha.

Por Antônia Ferreira
Aluna do curso de graduação em Ciências Biológicas Microbiologia e imunologia, 5º período.
Matéria escrita na disciplina de extensão de integração acadêmica do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia. Creditação da extensão no Instituto de Microbiologia.


29 08 Micro Autoimune novidadeO sistema imune engloba funções muito distintas e importantes para o funcionamento do organismo. O primeiro papel desempenhado por ele que podemos citar é o reconhecimento e respeito pelo ‘’self’’ (próprio). Esse sistema é responsável por reconhecer produtos celulares próprios como hormônios, organelas e outras estruturas sem estabelecer uma resposta contra elas. O segundo papel é reconhecer o não ‘’self’’- partículas não próprias que podem ser bactérias, vírus e toxinas, por exemplo - e ser capaz de destruí-lo. A terceira função, e não menos importante, é a habilidade de reconhecer quando o ‘’self’’ foi modificado (anormal) e destruí-lo, nesse caso temos as células tumorais ou mutantes.

O conceito de homeostase, muito usado na imunologia, nada mais é que equilíbrio no organismo, e este, junto com a tolerância resultam em um mecanismo regulatório que previne autoimunidades e várias doenças. Autoimunidade, que é uma autorreatividade, pode ser mantida sob controle quando estiver em condições normais. Como uma das principais funções do sistema imune é fazer o reconhecimento das estruturas próprias do organismo, a autoimunidade está normalmente presente em todos os indivíduos saudáveis e tem um papel importante na regulação de vários processos biológicos.

A homeostase é muito importante para manter a autoimunidade sob controle, de modo que essa característica intrínseca de todos nós não saia do controle e se torne uma vilã. O desenvolvimento de doenças degenerativas, por exemplo, pode ser evitado através da autoimunidade, uma vez que o sistema imune reconhece e destrói partículas e/ou células próprias que foram modificas e estão prejudicando o organismo de alguma forma. imagem micro novidadespngDoenças autoimunes são um complexo grupo de doenças crônicas resultantes de interações entre fatores genéticos, epigenéticos (modificações no DNA que são estáveis ao longo de divisões celulares, mas não envolvem mudanças na sequência de DNA), hormonais e ambientais. Essa sua origem multifatorial significa que sua causa exata ainda é desconhecida.

Dados atuais nos mostram que cerca de 3% a 5% da população em geral é afetada pelas doenças autoimunes, porém podemos observar que algumas populações são mais suscetíveis. Essa susceptibilidade está relacionada com o background genético, mas também está associado com fatores ambientais. Um fato interessante é que 80% dos casos reportados de doenças autoimunes são encontrados em mulheres em idade reprodutiva, mostrando também a importância dos hormônios.

Alguns órgãos e tecidos são mais frequentemente afetados, como por exemplo, glândulas endócrinas (tireoide e pâncreas), componentes do sangue (glóbulos vermelhos e plaquetas) e tecido conjuntivo. Mas, além disso, as doenças autoimunes podem ser sistêmicas, como o lúpus eritematoso sistêmico ou contra um órgão ou tecido específico, como a tireoidite de Hashimoto (glândula tireoide), que é uma inflamação na tireoide, levando ao hipertireoidismo e frequentemente seguida por hipotireoidismo. Os sintomas dessa tireoidite são os mesmos do hipotireoidismo: excesso de peso, pele fria e pálida, bócio e baixa tolerância ao frio. O tratamento dessa doença é feito com hormônio e o paciente deve voltar constantemente ao médico para realizar novos exames para controlar a doença.

Porém, os sinais e sintomas de doenças autoimunes podem ser facilmente confundidos com outras doenças, o que torna o diagnóstico mais difícil. O que é muito importante para diagnosticar essas doenças é uma análise minuciosa da história clinica do paciente, pois trata-se de uma condição que envolve muitos fatores e apenas levando todos eles em consideração um bom diagnóstico pode ser feito.
 
Nedai - Doenças Auto Imune
Tua Saúde - Tiroidite de Hashimoto

CORONEL-RESTREPO, N. et al. Autoimmune diseases and their relation with immunological, neurological and endocrinological axes. Autoimmunity Reviews, Cali, 16 (684-692), 2017.
GRAVINA, G. et al. Survivin in autoimmune diseases. Autoimmunity Reviews, Gothenburg, 2017.

  • sbctacnpqfaperjcapespetrobrassbm
  • rede de tecnologiafinep 2agencia de inovacaosebraeembrapanpi
  • projeto coralperiodicosCurta Logo Print 2
Topo